sexta-feira, 13 de julho de 2007

Ervas de poder

A religião é o ópio do povo. Mas de qual religião?
Em sua teoria Marx, usou de formas de raciocínio que incutem os mesmos ideais messiânicos contidos no protestantismo.

A religião é uma forma da burguesia satânica controlar o proletário?
A religião, quando elevada a um estatus de oficial, torna-se mais uma ferramenta de opressão, mas sendo a religião oficial uma instituição além das instituições seculares, podemos entender que aqueles que são chamados de burgueses estão também alienados pelas doutrinas dela.
A forma de superar esse cárcere espiritual não é fornecido pelo catecismo marxista, porque este mesmo faz uso das mesmas ferramentas, colocando a burguesia como o Satan mundial, o capital como a fonte de todo o mal e o proletário como o Messias que irá salvar a humanidade e a conduzirá a um paraíso de justiça social.

Não é incomum ver entre os quadros dos partidos socialistas, vertentes da própria igreja católica militando pelo socialismo, simplesmente porque vêem na teoria de Marx uma forma "científica" de implementar os ideais que crêem serem de Cristo, sobretudo no que tange ao compartilhamento comum das riquezas pelos indivíduos que formam a comunidade.
Considerando que a evolução e emancipação humana não será possível enquanto restar qualquer resquício de Cristianismo, a alternativa que se apresenta é quebrar esse círculo vicioso e seguir um caminho mais humano e natural. Somente livres da hipocrisia moralista ainda reinante nós poderemos reencontrar-mo-nos. Somente pelos caminhos pagãos a humanidade encontrará a ligação mais terna e concreta com os deuses. Como o principio da Wicca/bruxaria ensina: não se pode encontrar fora o que não se encontra dentro de nós.

Nenhum comentário: