sábado, 14 de julho de 2007

Caminhos, Espiritualidade, Validade

Este texto procede de um buscador e não tem por pretensão criticar uma pessoa específica, mas compartilhar o resultado das minhas reflexões sobre algumas mensagens recentes.
Desde o tempo em que me conheço por gente eu percebo que estamos todos indo em direção a alguma coisa, todos nós estamos em uma longa jornada. Algumas vezes eu fui pressionado a fazer algumas opções ou intimado a colocar um propósito maior em minha vida. Constantemente, eu sou acossado com esse discurso sobre um ou todos os caminhos espirituais. De um lado, a Turma do Aleluia, que insistem em dizer que somente há um só caminho espiritual válido. De outro, pagãos, que insistem em dizer que todos os caminhos espirituais são válidos.
Quando eu optei por um caminho, isso foi feito com um critério, sem ter a pretensão ou a petulância de que isto possa ser um caminho espiritual ou de dar um propósito maior em minha vida. Acontece que este caminho possui alguns elementos que podem ser definidos como sendo valores espirituais, ainda que não sejam dominantes, mas que certamente são válidos para mim. Eu não espero o reconhecimento ou a aceitação de quem quer que seja. Entretanto, quando eu iniciei meu interesse em aprender a Wicca Tradicional, eu tenho que assumir que esta opção convém apenas a mim e que é recomendável ser deixada de lado para aproveitar ao máximo o que aqueles que realmente pertencem a essa religião tem para ensinar. O bom senso e a educação são mais importantes do que minhas convicções religiosas ou do que qualquer caminho espiritual que eu tenha consensualmente comigo mesmo considerado válido.
O que leva alguém a procurar uma forma de espiritualidade talvez seja o ponto central do assunto. Eu sei o que leva a alguém se afastar de toda forma de espiritualidade, misticismo e religião, pois eu tive minha passagem pelo Ateísmo. Eu posso indicar minhas suspeitas que fazem uma pessoa repentinamente procurar por uma forma de espiritualidade.
Um dos motivos certamente é a moda, principalmente pela pressão do meio social em que esta pessoa vive. Para estes não faltam vigaristas, lojas e bugigangas, para os mais diversos fins. Estes certamente querem e gostam que seu caminho espiritual seja reconhecido e aceito como válido por outros, farão uma verdadeira apologia do grupo ou instituição que pertencem e transformarão as análises críticas contra esses mercenários como uma ofensa pessoal ou como uma infração ao legítimo direito universal de opção religiosa dado a todos. Nesse trajeto, fica esmigalhado por este caminho comercializado todos os valores sensíveis que fazem a Wicca o que ela realmente é.
Outro motivo é a propaganda, pela qual uma pessoa é convencida de que as reivindicações daquele grupo, instituição ou caminho espiritual são válidos, quando estes não pressionam seus membros a considerar aquele caminho como sendo o único válido, o que ocasiona tantos conflitos e discussões. Neste caso também é igualmente importante o reconhecimento e aceitação, quando não de impingir a conversão. Para estes é fundamental considerar seus textos mais verdadeiros que a dita verdade que ali contém, bem como de santificar seus fundadores, profetas e iluminados. Aqui é preciso fazer uma pausa para explicar aos pagãos que há uma diferença entre afirmar ser a Religião Verdadeira e afirmar ser a Tradição Wicca. A primeira sequer considera possível a existência de outras religiões, a segunda cuida de seus assuntos e espera que os outros não se metam em seus negócios. Quando alguém faz uso excessivo da liberdade e da liberalidade conquistada nos últimos séculos, por meio de desculpas esfarrapadas e dos clichês dessa propaganda, querendo tornar seu caminho espiritual confiável, acaba fragmentando em aspectos menores a religião que diz seguir, acaba fazendo o papel do fundamentalista ao exigir respeito dos outros, respeito que não existe em suas ações para com os outros.
Para fazer parte da Wicca Tradicional é preciso preencher requisitos básicos e estes não tem qualquer ligação com modismos ou comércio. Caso suas convicções, opiniões ou padrões sejam mais importantes, então não tente entrar na Wicca Tradicional. Existem muitos caminhos, indubitavelmente, escolha o que mais te convém ou simplesmente inicie o seu próprio, caso você considere todos os caminhos válidos. Entretanto, não espere de pessoas com caminhos espirituais sinceros que estes concordem ou corroborem com seu adorno de ego. Continue se convencendo de que todos os caminhos são válidos, continue se iludindo que está em um caminho espiritual, continue reclamando contra a “intolerância”, “discriminação” e “preconceito” dos Tradicionalistas, continue mantendo a bandeira da “liberdade de credo” a todo custo que não demorará para que você entre no time de muitos grupos ecléticos e auto-iniciados pela “moralização” da Wicca, como eu tenho visto ultimamente.
Aparentemente, predadores peçonhentos não gostam de sentir o gosto de seu próprio veneno.

Nenhum comentário: