sábado, 20 de junho de 2009

A origem das festas juninas

O Sol, o Solstício de Verão e o dia mais longo do ano (21 de Junho) estão no centro das Festas Juninas.
As festas pretendem “celebrar as festividades pagãs que foram substituídas por outras associadas a S. João Baptista depois da cristianização da Europa.
Os Europeus não só acolheram como incrementaram práticas e crenças que se encontravam profundamente integradas na base cultural que informava os seus povoadores.
Dessa origem sobressaem cultos astrais, lunares e solares, especificamente protectores da agricultura, mas também dos animais e da vida em geral, de cujas memórias resultaram profundas marcas.
Expressas em rituais que ora foram condenados ora readmitidos pela Igreja Católica, continuam a integrar as actuais vivências do Arquipélago, salientando-se tanto na celebração de Solstícios e Equinócios, como de outros astros, conforme acontece com Venus (entendido como estrela da manhã) ou nos cantares dirigidos às estrelas.
Com a noite mais longa do ano, o solstício (do latim, solstitium ou Sol estático) do inverno, irá começar oficialmente às 02h45 (horário de Brasília), na madrugada deste domingo (21). Para o hemisfério norte, os habitantes estarão vivenciando o inicio do verão.

Um comentário:

Marco disse...

Eu festejo Litha e a natureza fez sua festa no anoitecer... Gosto de verificar essas singularidades de lugar para lugar - de olhar para olhar. Isso sempre serve como inspiração e para compreensão também...
Grande abraço