quinta-feira, 15 de julho de 2010

Grande Rito [esclarecimentos]

O Grande Rito não é uma "orgia sexual", nem é especialmente ligado ou somente feito no Sabbat Beltane. Essa visão é deturpada. Vamos definir o GR e entender seu papel em nossa religião.
O GR é SIMPLESMENTE o mistério CENTRAL da Wicca. Praticamos - ou desejamos aprender a praticar- uma religião de Mistérios. Cabe compreender que de todos os Mistérios que a Wicca acessa nenhum é mais sagrado e complexo do que o Grande Rito ou Grande Casamento. Ao acessar e comungar com a energia do GR uma pessoa se conecta simplesmente com a energia inicial que criou a Vida, a Deusa Criadora e Seu Consorte amado.
TODO E QUALQUER RITUAL WICCANIANO [sic] PRECISA DA ENERGIA DO GR.
Nele, a Deusa é a Senhora que Canta em Todas as Coisas, Ele é o Condutor da Dança Espiral de Êxtase. O conteúdo desse mistério, quer isso choque as pessoas (especialmente os iniciantes ou não) é sim totalmente sexual. Vivemos uma religião cujo mistério central é o orgasmo sagrado que une Deusa e Deus e gera toda a vida a cada instante.
Porém, como cada sacerdotisa ou sacerdote vai escolher viver essa energia, ai sim é que há variações. Muitas pessoas participarão de ritos sexuais sem problemas, compreendendo sua sacralidade e beleza. Outras pessoas preferirão os ritos apenas simbólicos, e os farão a vida toda. Ambos poderão - se iniciados- acessarem totalmente os Mistérios, porém de maneiras diferentes.
NOTEM que eu falei de iniciados, porque novatos, mesmo que estejam bem conectados e mesmo que façam o ritual de taça com athame ou bastão não fazem realmente o GR. No máximo conseguem fazer uma benção do vinho. SOMENTE CONSEGUE PRATICAR O GR QUEM É INICIADO OU SEJA, QUEM TEM UM COMPROMISSO DE ENTREGA SACERDOTAL, PORQUE PELA PROMESSA INiCIATICA ELE PASSA A ACESSAR O PODER DO TRES VEZES O TRES, QUE É O PODER DO GR.
Wiccanianos [sic] só realizam o GR entre si.
Hoje a imensa maioria dos covens que adota praticas sexuais para o GR também aceita e incentiva o uso de preservativos. Isso se dá porque se acredita que o que gera o poder do GR não é a possibilidade da nova vida em si, mas sim a energia que poderia cria-la.
No entanto, tradições mais conservadoras, como a Gardneriana, ainda praticam o GR sem emprego de preservativos, por crerem que é imprescindivel a ele a possibilidade real da concepção. Nessas tradições, há parceiros magicos fixos para o GR.
São visões diferentes.
Em tese, se uma sacerdotisa engravida durante a realização do GR, a criança é considerada um filho do Deus de Chifres.
Como isso é explicado a parceiros não wiccanianos - maridos, esposas , namorados? Bem, creio que todos os wiccanianos [sic] que praticam ritos sexuais informam seus parceiros não wiccanianos [sic] dessa possibilidade, então, creio que é um problema que ja tem tratamento previo e cabe ao casal resolver.
Não existe celebração do GR sem que ambos os parceiros sejam sacerdote e sacerdotisa.
O GR real só é feito por inciados, seja com sexo entre duas pessoas, seja com o simbolismo do athame e taça.
Quando um não iniciado, praticante novato, realiza o ato de unir athame e taça ele está fazendo só uma benção do vinho, uma vez que ele não esta revestido do poder sacerdotal que tornaria esse gesto um grande Rito. Essa é a diferença: vc acessar ou não o poder do 3 vezes o 3. É esse acesso que faz da união de taça e athame um GR real, e esse acesso só se obtém através do compromisso iniciático.
Autora: Mavesper Ceridwen, na Sociedade Wicca.

Um comentário:

Sem nada melhor pra dizer disse...

Estou surpreso! Não por saber que existem ritos sexuais na wicca, mas é que este é o primeiro comentário franco, objetivo que ví. Muitos à quém perguntei sobre o assunto, se esquivaram. Adorei!