quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Adonis, um titulo, um nome, um Deus

Adonis é um Deus da Fertilidade e representa morte e renascimento nos cultos agrários orientais. Ele também é conhecido como o Deus Agrário Eshmun.
Adonis vem do título Cananeu, Adon. A palavra semítica para "mestre" ou "senhor" e "i" significa "meu", portanto Adonai (Adonis é a versão helenizada) se traduz como "meu senhor", similar ao significado de Baal.

Adonis tem duas origens: Chipre e Biblos. Em Chipre, seu pai era o rei Theias ou Cíniras; sua mãe era Mirra, a filha do rei. Em Biblos, é Fenix, pai dos Fenícios.
Nos templos fenícios, as mulheres se prostituíam em serviço da religião, crendo que assim propiciariam a Deusa e ganhariam seu favor. Em Chipre, aparentemente antes do casamento todas as mulhrees eram formalmente obrigadas a se prostituirem a estranhos no santuário da Deusa e dedicar à Deusa os ganhos auferidos em seyu sagrado meretrício.
Em Fenício haviam duas palavras que significam "senhor": Baal e Adon. Baal tem uma identidade especial para os fenícios como a divindade masculina primária. Assim, Baal não estava disponível como nome para as divindades cipriotas nativas, os Cipriotas chamavam a seu Deus de Wanax, que significa "senhor", os Fenícios nomearam essa divindade nativa com a outra palavra para "senhor": Adon.
Os Gregos tomaram a administração de Idália dos Fenícios por volta de 300 BC. A linguagem principal era o Fenício, quando os Gregos chegaram. Então pode ter sido natural para os Gregos acharem que Adon era o nome da divindade local, não um título. O nome Adon foi então helenizado, adicionando o prefixo grego "is", criando o familiar Adonis.

Na bíblia, o Deus Israelita Yahweh é ocasionalmente referido por Adon, com o termo sendo usado como título, não como nome pessoal de Yahweh. Eventualmente, o nome "Adonai" (meu Senhor) tornou-se um nome substitutivo para pronunciar o indizível nome Yahweh nas preces. nos dias de hoje, quando os Judeus encontram as consonantes YHWH nas preces, eles pronunciam "Adonai". Eles ficariam chocados em ver que esta substituição está relacionada ao "Adon" Fenício e ao "Adonis" Grego-Cipriota. Mais adiante, Muçulmanos e Cristãos que falam Aramaico/Siríaco Judaico/Arábico ficariam chocados em ver que suas palavras para Deus vem do nome do deus Fenício de "El", como em Elah, Allah, Elahona, Eloh, Elohaino, Eli, Eloi, Elohak, etc.
Aniconismo e o uso de uma pedra erigida são características das práticas de culto Israelitas. Portanto, se há alguma conexão entre a crença na antiga Chipre e na antiga Israel, o elo são os Fenícios. A religião popular entre os Israelitas embora oposta à religião oficial promovida na bíblia hebraica era similar á religião Fenícia. A bíblia apresenta um puro, monoteismo elitista devotado exclusivamente ao culto a Yahweh. as facções grupos ortodoxas, nacionalistas, que produziram a bíblia hebraica proscreveram a adoração a Baal e suprimiu tudo menos os traços tênues de uma teologia que incluíam uma consorte de Yahweh. Mas tanto Baal quanto sua Deusa continuaram a viver nas práticas religiosas populares Israelitas como também nas práticas Fenícias.
Fonte: Phoenicia Org.

Nenhum comentário: