sexta-feira, 29 de abril de 2011

O Deus de Jajouka

Jajouca, Jajouka, Joujouka ou Zahjouka é uma vila que fica ao sul de Tanger, no Marrocos. Nesta vila, um grupo musical chamados de "Mestres da Música", músicos sufis, que induzem o transe pela música, celebram a Boujeloudia com suas músicas. Eles chegaram a influenciar a geração Beat e Brian Jones.
O que ou quem eles celebram com essa música que é o mais interessante. Ele é chamado de "Pai do Medo", Bou Jeloud, um Deus Bode.
"A vila é o lar dos Músicos Mestres de Jajouca como também o santuário do Santo Sidi Ahmed Sheikh, que veio do leste por volta de 800 DC para divulgar o Islão no norte do Marrocos. Como fundadores da vila, a família Attar mantêm uma das mais velhas e únicas tradições musicais conhecidas no planeta. A música e os segredos de Jajouka têm sido passados por gerações, de pai para filho, por cerca de 1300 anos.
Antes da chegada de Sidi Ahmed Sheikh, as lendas dizem que a música tem suas origens de uma caverna nos montes de Jajouka. Quando o primeiro Attar chegou na região, ele dormiu na caverna de Boujeloud onde o "pai das peles" apareceu a ele em um sonho tocando a mais bela música que ele havia ouvido. Boujeloud, por quem a Boujeloudia é tocada, retornou para ensinar aos vilegos uma forma especial de música que eles podiam passar através das gerações".[Músicos Mestres de Jajouca - em inglês]
Boujeloudia:
"Esta música é, em essência, parte de um ritual de fertilidade, uma variante que tem existido por milênios mas que está melhor preservada em Jajouka. Tradições similares são encontradas através do Mediterrâneo aonde personagens mascarados e frenéticos, em certas épocas do ano, espalham medo e pânico entre os vilegos. Algumas teorias apontam às similaridades destas tradições e os festivais romanos da Lupercalia.
Em Jajouka os rituais são centrados em um personagem chamado Boujeloud e uma mulher por quem ele está apaixonado, Aisha Qandisha. Boujeloud, raivoso, tenta acertar os músicos e o público, mas é controlado pela poderosa força da música, a Boujeloudia. Boujeloud segura galhos em suas mãos e em seu frenesi ele pode atacar qualquer um. Mulheres que são atingidas por ele estão seguras de estarem férteis no futuro. Aisha Qandisha dança e o provoca.
Na lua cheia depois de Aïd el–Kebir [festival muçulmano que marca o fim do Hajj ou peregrinação a Meca], os músicos realizam um festival onde esta música fabulosa é tocada. Ela é caracterizada por um certo ritmo e melodia e pode ser executada com muitos instrumentos como ghaita [corneta] e tebel [tambor de pele de cabra], lira [flauta] e mesmo gimbri [viola forrada com pele de cabra] e bendir [tamborete]. Ela pode ser executada também em outro momento, em casamentos e festas. Todo mundo pode dançá-la, mas deve ficar atento ao homem com um chapeu de palha e uma pele de bode. Boujeloud pode vir correndo de repente e o dançarino terá tempo apenas para ver os olhos faiscantes antes de ter que correr".[Músicos Mestres de Jajouca - em inglês]

Nenhum comentário: