segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

O perigo da ideologia política

A mentalidade nacionalista é da mesma índole que a mentalidade racista e que a mentalidade racialista – é baseada na discriminação, no privilégio, na exclusão. Por mais desentendimentos que possam existir entre nacionalistas, ou entre nacionalistas e racialistas, ou entre racialistas, tais divergências situam-se quase sempre ao nível dos conceitos de estirpe, a saber, da determinação de quem pertence ou não ao grupo, até onde se estende o grupo, quem está mais próximo ou mais distante do grupo.
Ora discriminar é ver diferenças – é errado ver diferenças? Errado é não o fazer.
Privilegiar é dar prioridade a uns sobre outros – é errado tratar melhor os familiares do que os estranhos? Errado é não o fazer.
Excluir é pôr de fora – é errado pôr fora de um espaço algo que não pertence a esse espaço? Errado é não o fazer. Certamente que ninguém aceita que um estranho lhe entre em casa e que tenha nessa casa os mesmos direitos que os possuidores do domicílio.[Gladius]
Eu comentei em outro tópico sobre o absurdo dessa posição "etnicista" dentro do Neopaganismo, de forma que neste tópico eu tentarei esclarecer alguns conceitos que frequentemente são confundidos ou distorcidos por uma ideologia política.
A "mentalidade nacionalista" geralmente desconsidera qualquer perspectiva histórica, social ou antropológica daquilo que formou essa Nação e confundir Nação com o conceito de Raça é ignorar completamente a essência da humanidade. Se formou uma pseudo-identidade étnica na Europa, no fim da Primeira Guerra e se forjou uma pseudo-identidade racial ariana e toda a ideologia nazifascista que jogou o mundo em um pesadelo. Ese tipo de "identidade" é uma imposição espúria dessa ideologia política, que não tem qualquer vínculo com a ideologia humana e religiosa do Neopaganismo. Falar em estirpe, em raça, é falso orgulho, é ilusão etnicista. Só há uma raça - a humana.
Ver diferenças e discriminar são coisas diferentes. Discriminar é reagir de forma preconceituosa, é ser intolerante, é ofender e agredir algo ou alguém simplesmente pelo motivo fútil de ser diferente. A diferença não torna algo ou alguém uma ameaça ou um crime.
Dar prioridades e privilegiar são coisas diferentes. Privilegiar é dotar um grupo de mais direitos que outros, direitos muitas vezes alegados, impostos ou reclamados sem qualquer embasamento ou razão. Dar prioridades não concede a grupo algum tais privilégios. A prioridade aos que são meus não pode excluir o conjunto da comunidade - no que os "estranhos" estão inclusos.
Exclusão não cabe em espaço social algum. Exclusão é sectarismo, nós não podemos agir com essa concepção bairrista, provinciana, regionalista. Exclusão é a soma de discriminação e elitismo, é desumano. O mundo, a vida, a natureza, a herança, são valores pertinentes a todos os seres humanos. Eu ouso até em dizer que as melhores características do Neopaganismo são seu Politeísmo, sua tolerância e sua inclusão. Portanto Neopaganismo não combina com Nacionalismo, Etnicismo e Racismo capengas.

Nenhum comentário: