terça-feira, 2 de novembro de 2010

A hipocrisia assustadora

Tanto Cristãos quanto Muçulmanos têm, nos últimos dias, clamado pela "liberdade de crença". Os Muçulmanos mostraram recentemente o nível de "tolerância religiosa". E como dia 31 foi halloween, os Cristão também mostraram que esse discurso em defesa da "liberdade religiosa" é mais uma máscara.
As conferências episcopais inglesa e irlandesa querem travar a moda do Halloween entre as famílias cristãs, aconselhando as crianças a mascarar-se de santos em vez dos habituais monstros e bruxas. Um apelo a que se juntou a Igreja espanhola. Por cá, embora a noite das bruxas ainda não seja uma tradição muito forte, as organizações religiosas vêem com bons olhos esta recomendação.
"Não tenho a certeza de que o Halloween possa ser substituído, mas acho importante que se fale da véspera de Todos os Santos", refere José Vítor Adragão, membro do Congresso Internacional da Nova Evangelização. Também o padre Pablo Lima, do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil, considera que "a tradição do Halloween ainda é muito pequena em Portugal" e que, apesar de "não haver uma substituição do dia de Todos os Santos, é importante alertar para estes costumes que já estão a crescer".
A pensar nos mais novos, um grupo da Igreja inglesa lançou uma espécie de guia com actividades para a noite de 31 de Outubro. O Night of Light (Noite da Luz) é uma iniciativa que segundo a página da Internet quer "reclamar o Halloween [véspera de Todos os Santos, em português] para a Igreja". Assim, nessa noite, as famílias cristãs são convidadas a vestir uma peça de roupa branca e a colocar uma vela na janela.
Actividades que José Vítor Adragão e Pablo Lima defendem, embora considerem que as duas festas podem conviver. "É possível que as crianças façam a festa de Halloween sem que isso exclua uma explicação da festa e da solenidade de Todos os Santos", entende o padre da Pastoral Juvenil. Até porque "não é o caminho do confronto que se deve seguir mas o da sadia convivência entre as duas festas", refere. Do mesmo modo, José Vítor Adragão defende que se deve "explicar o que é o Todos os Santos, mas não se pode substituir uma festa pela outra".
No entanto, não esconde o mal-estar perante a postura das escolas religiosas que festejam o Dia das Bruxas. "Custa-me um bocado ver os colégios católicos dar tanta importância ao Halloween, que não é uma tradição nossa", confessa. A solução está nas famílias cristãs, que devem explicar as duas festas e não esquecer a dimensão religiosa do dia de Todos os Santos, acrescenta o membro da Comunidade Emanuel.
A outra opção é convencer as crianças a mascarar-se de santos em vez de esqueletos ou bruxas. E para que ninguém se queixe de que não tem ideias, a Conferência Episcopal inglesa e a espanhola dão uma ajudinha. Os mais novos podem vestir-se de São Jorge, São Francisco, Santa Lúcia ou Santa Maria Madalena.
Tudo isto porque a Igreja defende que a origem do Halloween é principalmente católica, já que desde o século IV que se consagrava um dia para festejar Todos os Mártires. E três séculos mais tarde a festa em honra do Todos os Santos passou a ser celebrada a 1 de Novembro sendo precedida por uma vigília na noite de 31 de Outubro. Em inglês, esta vigília era chamada de All Hallow's Eve (Véspera de Todos os Santos). Mas esta noite também é celebrada na tradição pagã. A festa celta Sambain tinha por objectivo prestar culto aos mortos, celebrava-se de 5 a 7 de Novembro e era uma das festas mais importantes, pois acreditava-se que nesta data os espíritos voltavam para visitar os seus lares e guiar os familiares até ao Além. O culto acabou por se misturar com a tradição cristã.
Fonte: Diário de Notícias
Nota da casa: A tradição está longe de ser católica, como este blog denunciou no texto "Proibido festejar".

Um comentário:

Nana Odara disse...

a liberdade reigiosa q eles tanto defendem é uma faca de dois legumes... agora eles vão ter de engulir os dois, faca e legumes... não há retorno...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

depois q baixar a poeira vc vai ver q melhora... vamos na fé irmão...