sábado, 27 de março de 2010

Mulher - a Grande Iniciadora do Amor

Por Chandra Veeresha & Anand Milan
Todas as tradições exotericas antigas, viam a mulher como a "protetora" do potencial criador; a personificação da sensualidade; uma Deusa que era reverenciada pela capacidade de "dar a Luz"; de trazer consigo o "renascimento".
Na atualidade, os homens tornaram-se "o centro das atenções", em quase todas as culturas do mundo, restando poucas, como o Tantra que ainda aceita a mulher como "A Grande Iniciadora do Amor".
Com os homens no Poder, muitas mulheres, ainda que inconscientemente (outras com total consciência de seus atos) tem tentado retomar seu espaço na sociedade, aderindo a movimentos feministas (totalmente agressivos), levantando bandeiras de certo ou errado e indo aos meios de comunicação defender seus idéias extremistas, quando na verdade, mal percebem que estão sendo influenciadas pela visão patriarcal predominante e perdendo sua feminilidade.
"A mulher é a Iniciadora, a que dá a luz, a evocadora do prazer para os 3 mundos, a amável e compassiva. Como objeto dos 5 sentidos, a mulher é dotada de forma Divina." ChandaMahaRosana Tantra
O Tantra chegou ao Ocidente justamente para devolver à mulher o seu Poder Pessoal, a sua passividade e a sua intuição.
Lutar, Guerrear e impor são atitudes machistas que devem ser evitadas, de todas as formas, pela mulher. Entenda que estamos falando de atitudes interiores relacionadas ao Masculino e Feminino e não do comportamento corporal do homem ou da mulher.
Diante da nossa criação cultural e religiosa, cheia de aprisionamentos e repressões, onde o "menino" é visto e criado com maior liberdade comportamental, a "menina" aprende a se manter submissa aos caprichos machistas e quando cresce essa submissão é vivenciada no ato sexual; um momento que deve ser usado como alavanca do corpo à consciência superior, mas que é facilmente desperdiçado.
Geralmente ela se vende em troca de carinhos, cheios de "segundas intenções", submetendo-se a todo tipo de tratamento.
Na busca por um relacionamento ideal e duradouro, muitas vezes são humilhadas pelos seus parceiros.
O comportamento machista, visa "receber prazer" a todo custo e uma grande parte dos homens esqueceram de que a mulher também necessita de prazer.
"Em todos os momentos, seja lavando os pés ou comendo, enxaguando a boca, esfregando as mãos ou guarnecendo os quadris com uma tanga, saindo, conversando, andando, ficando de pé, sentindo raiva, dando risada, o homem sábio deve sempre adorar e honrar a mulher." Hevajra Tantra
Quando o homem compreende que a mulher deve ser vista e reverenciada como uma Deusa, ele se eleva e desperta em si a energia Shakti; a própria energia feminina. E quando uma mulher compreende o seu papel de "Geradora da Vida" e "Iniciadora do Amor", ela também se eleva e leva consigo o seu amante.
"O Poder da Iniciação da mulher é enorme e baseia-se essencialmente na atitude mental, quanto ao misticismo sexual. Assumindo um papel ativo e explorando toda uma variedade de segredos sexuais em seus relacionamentos, a Mulher pode conceder poder transcedental ao parceiro. Este poder, a forma elevada de Shakti, é a expressão direta da intuição aberta; uma energia de sabedoria, espontânea e alegre que pode romper todas as barreiras. A mulher deve confiantemente, iniciar o seu parceiro na experiência mística. O sucesso depende da espontaneidade, da capacidade de confiar e render-se a ideais mais elevados e ao desejo sincero de dar algo especial ao seu amor". (Nick Douglas e Penny Slinger).
Dessa forma, sua Deusa interior dá a verdadeira iniciação ao Homem.

Nenhum comentário: