quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Origem das Fadas

A palavra provem etimologicamente do latim fatum (destino, fatalidade, oráculo). As fadas são de origem característica dos povos célticos, anglo-saxões, germânicos, nórdicos e pertencem a área dos mitos. Elas ocupam um lugar central na estrutura dos mitos e contos populares, pois detêm o poder de tornar possível a realização dos sonhos e/ou ideais inerentes à condição humana. Esses seres fantásticos ou imaginários são dotados de grande beleza e se apresentam sob a forma feminina.
A primeira resposta que surge a esta questão é a do animismo. Os povos primitivos costumam atribuir aos efeitos naturais uma causa sobrenatural e, ao mesmo tempo, julgam que todo o universo é habitado por almas ou espíritos que se incumbem de proteger um determinado objecto, um certo lugar etc. Deste modo, para esses povos, há espíritos que exercem sua ação protetora sobre os lagos, os rios, os bosques, as árvores e, até mesmo a humilde plantinha que cresce na sombra de um poderoso carvalho, pode ter seu espírito protetor.
Deste ponto de vista (ponto de vista animistas) as fadas são, como os deuses e outros espíritos da natureza, produtos da imaginação popular que a tradição conserva e enriquece através da acção dos bardos e dos contadores de histórias em geral.
A literatura da Idade Média e os contos infantis maravilhosos nos ensinam que as fadas são seres femininos dotados de poderes sobrenaturais. Fisicamente, aparecem sempre com traços de uma jovem dama de beleza excepcional, ricamente vestida com trajes cujas cores dominantes são o branco, o ouro, o azul e sobre tudo o verde. Sua varinha mágica com uma estrela na ponta é símbolo de seus poderes mágicos. Está ainda dotada de uma sedução a qual mortal nenhum pode resistir. As crianças a adoram como sua mãe; os jovens se apaixonam perdidamente por ela e lhe consagram corpo e alma. A fada é o ideal feminino, símbolo do "anima", que encarna a virgem, a irmã, a esposa e a mãe. É a mulher por excelência, perfeita e inacessível. É também um agente da Providência, que distribuiu riqueza, fecundidade e felicidade, ajudando os heróis em perigo e servindo de inspiração para artistas e poetas. A fada é ainda, uma fiandeira do destino, como as Parcas romanas e as Moiras gregas. São elas que tecem o fio da vida e assistem o nascimento das crianças humanas para presenteá-los com dons. São elas também, quem rompe esse fio e anunciam a morte dos seres humanos, antes de levá-los a seus palácios encantados, no País das Fadas. Mas a fada é por último, uma divindade da natureza, associada especialmente as árvores, aos bosques, as águas das fontes e das flores dos jardins.
Popularmente, se crê que as fadas e o resto do Povo Pequeno remontam dos tempos mais antigos da Terra, quando ainda estavam em formação os montes e os oceanos e não havia ainda surgido o primeiro "homo sapiens". Viviam em um lugar determinado do planeta, mas não tardaram a se estenderem por regiões mais longínquas, ao mesmo tempo que se iam formando as montanhas, os mares e os rios, e aparecia o homem primitivo.

2 comentários:

Sally Mars disse...

Adorei o seu artigo, muito prestativo. Obrigada

FRAN SILVA disse...

Um excelente artigo. Eu acredito tudo que foi lenda, ou Mito... É porque já teve sua real historia. No mundo de hoje pra voce provar ou mesmo dizer que acredita em seres elementares é conciderado como louco para sociedade... Mas Porem como não me importo com o que pensam no que eu acredito
Continuo fazendo de minha crença a minha filosofia de vida ...Em um país como nosso onde seus governantes todos se renderam a corrupção e nunca se vê uma melhoria com tantas promessas já feitas.... Prefiro mesmo me unir a Peter Pan que em vóz alta diz: Eu acredito em fadas... boa noite lindo artigo..